sábado, 17 de agosto de 2013

Agora? (texto de nov. 2012, nunca publicado)

Mais do que parecer, sei que É cedo. Repentino, fulminante e agressivo parecem bons para descrever como isso aconteceu, mas não fazem justiça a como isso toma conta de mim toda vez que chego perto de voce.
Seu cheiro me inebria, e nunca senti nada mais suave que seu toque. Ouvir sua voz macia me chamar, como quer que seja, é o unico doce que me agrada.
O abraço firme e o beijo molhado de hoje são sempre melhores que o de ontem, mas com certeza são superados pelos de amanhã, porque tudo que eu sinto por você so cresce.

Não foi, e não é facil. Mas não é nada aquém do que eu quis todo esse tempo.
A alegria que você diz que eu te trago é tudo o que me motiva.
Te ver sorrir por essa alegria é a énica recompensa que espero, bem como o seu amor e o seu carinho sao os únicos que quero.

Já não acredito em contos de fadas, e meninos nunca foram muito bons nisso, mesmo. Mas meninas acreditam, e eu quero fazer de tudo para ser seu príncipe no cavalo branco.
Não quero falar de final, mas sim de vida feliz, e com você vejo uma chance sem igual de ter e oferecer isso.
Errado foi pedir permissão para se apaixonar por mim, quando há tempos ja nao vejo minha vida sem seu beijo doce e sorriso inocente pelas manhãs.

Sei que é cedo, mas já não aguento mais esse inchaço no meu pomo-de-adão.
Acho que te amo, e pela quebra no nosso acordo quero perdão.
Sei que não era o combinado, mas te amo, e disso nao abro mão.

Erick Cordeiro Ozaki
18/11/2012 - 00h00
Barra Bonita - São Paulo

Nenhum comentário:

Postar um comentário