segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Verdades ao pé do ouvido


Verdade eh que ja nao me vejo sem voce. Mas tambem nao te vejo sem esse seu jeito de ser so sua.
Ja nao consigo passar bem um dia que seja sem fitar teus olhos, mas tambem nao consigo decifra-los.

Nao sonho com mais do que o seu toque e o seu cheiros ha dias, mas tambem ja nao preciso dormir para ter tais sonhos.

Por quê? Depois de tanto tempo sem sentir, por que faze-lo por alguem tao alheio a essa necessidade que me aflinge?

Entendo que nao se ame por condescendencia, mas nao tem como ser falta de amor o que mostram seus olhos e o que sussurra no meu ouvido sua respiracao ofegante.

Será só imaginação?


Foi tao de repente, né? Tao subito, tao...diferente.
Pelo menos eu me sinto diferente. Talvez simplesmente pelo fato de querer ser diferente por voce. Querer mudar e ser alguem melhor pra voce.
Isso eh errado?

Com certeza nao eh o que dissemos que seria, mas doi cada vez que te vejo fazer certas coisas, ver como nao sou sua prioridade. E me encanta cada vez mais o fitar desses seus olhos quase negros e miudos.
Sinto que depois de tanto tempo incapaz de sentir, sinto demais. Sinto que sentimento nao basta, e que deixar-se sentir isso sozinho nao eh a melhor das sensacoes.

Por que nao eh so meu seu toque suave? Por que nao eh so minha tua boca carnuda, de beijos molhados? Por que fui eu dizer que aguentaria isso, quando tudo que venho querendo em tempos eh o que acontece e tento reprimir agora?
Mas sera que voce deve saber disso tudo? Eu corro o risco de me ter deixado cometer o unico erro que te jurei impossivel e nao consigo pensar em nada a nao ser: "Será?"

Erick Ozaki

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Decepções guardadas com carinho demais

Sou um romântico. Pelo menos no meu jeito "brucutu", eu me considero um romântico.

O que me aflinge é que, pelo que vivi (apesar de pouco), e pelo que vi, amar é muito mais uma faca virada pro lado errado do que uma de dois gumes.

Às vezes gostaria de recorrer a coisas como Jim Carrey teve a chance e correu (burro!) em "Brilho Eterno de Uma Mente sem Lembranças" (ah! doce ironia...), simplesmente esquecer o passado, ou quem fez parte dele, ou, ainda pior, o que quem fez parte dele fez para que ele, o passado, seja, hoje, não mais do que passado.

Mas, bom, errado estou eu em dizer que não é mais do que passado. É, e é muito mais.
É o sentimento de incompletude, combinado com rancor, necessidade, abandono, saudades, paixão, inveja, ciúmes, incompreensão, e o entendimento de que tudo precisa seguir em frente.
Tudo aconteceu do jeito errado, puxado pela mão pelo jeito adolescente de amar, pela necessidade incansável da companhia um do outro, pela vontade lascívia da carne, pelo fogo que era a respiração ao estar juntos para um almoço cotidiano. E tudo acabou, se é que era possível, ainda mais errado.

Mas quem puxou essa mão? Fui eu? O que poderia eu ter feito, para que tudo fosse diferente? Ainda dói ter que te ver passar, sem me dar um beijo de bom dia, com seus braços fracos em volta do meu pescoço, apertar sua cintura, sentir o cheiro do condicionador que causou sua briga com sua mãe, o cheiro do seu gato com nome de comida que você nao me deixou transformar em churrasco.

Você provavelmente nem sabe, mas encontrei seu irmão esses dias. Senti o impulso de perguntar como ia sua vida. Me dei conta, então, de que nao era da minha conta. Não fui eu que te quis fora da minha. Você que vislumbrou uma vida melhor sem os meus problemas. Acontece que o único problema que eu tive em muito tempo foi conseguir ler ou escrever qualquer coisa parecida com seu nome sem enrrugar o queixo e chorar.

Teve também a vez em que passei na frente da casa dos seus pais. Foi por um acaso. Estava indo visitar um possivel trabalho. Quis entrar e abraçar sua mãe. Queria saber se ela sente saudades de mim como eu sinto das conversas com ela.

Chorei, sim. Chorei, e muito. O fiz como nem mesmo acreditava que pudesse fazer. Mas, sabe de uma coisa?
Seja feliz. De verdade? Seja muito, mas muito feliz. Não vou dizer que te desejo o melhor, porque quando quis te oferecer o MEU melhor, você achou que nada e aquilo valiam o mesmo. Mas desejo que você seja feliz.
Assim não corro o risco de, numa remota hipótese, cometer o erro de te colocar na minha vida de novo.

Você é, sim, uma memória, mas nem de longe uma boa. As lembranças de você são como um tumor no meu psicológico, uma doença que se alimenta do que há de bom em mim, e me transformam em alguém pior.

Você foi, sim, o melhor que aconteceu na minha vida, e disso eu me arrependo.
Não pelos milhões de segundos que passamos juntos, mas pelas milhares de vezes que você perspassou minha massa cinzenta a cada segundo desde que "nós" somos "eu" e "você".

Você está sendo expropriada. Considere esse seu ultimato. Essa é a carta de alforria da minha mente. Esse é o manifesto do novo regime do meu pensamento: aquele que pensa em mim e em quem me faz bem.

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Depois de tanto tempo sem postar, tinha que ser algo inspirador.

Chaplin's "The Great Dictator" Speech

I'm sorry but I don't want to be an Emperor, that's not my business. I don't want to rule or conquer anyone. I should like to help everyone if possible, Jew, gentile, black man, white. We all want to help one another, human beings are like that. We all want to live by each other's happiness, not by each other's misery. We don't want to hate and despise one another. In this world there is room for everyone and the earth is rich and can provide for everyone.
The way of life can be free and beautiful. But we have lost the way.
Greed has poisoned men's souls, has barricaded the world with hate;
has goose-stepped us into misery and bloodshed.
We have developed speed but we have shut ourselves in:
machinery that gives abundance has left us in want.
Our knowledge has made us cynical,
our cleverness hard and unkind.
We think too much and feel too little:
More than machinery we need humanity;
More than cleverness we need kindness and gentleness.
Without these qualities, life will be violent and all will be lost.
The aeroplane and the radio have brought us closer together. The very nature of these inventions cries out for the goodness in men, cries out for universal brotherhood for the unity of us all. Even now my voice is reaching millions throughout the world, millions of despairing men, women and little children, victims of a system that makes men torture and imprison innocent people. To those who can hear me I say "Do not despair".
The misery that is now upon us is but the passing of greed, the bitterness of men who fear the way of human progress: the hate of men will pass and dictators die and the power they took from the people, will return to the people and so long as men die [now] liberty will never perish. . .
Soldiers: don't give yourselves to brutes, men who despise you and enslave you, who regiment your lives, tell you what to do, what to think and what to feel, who drill you, diet you, treat you as cattle, as cannon fodder.
Don't give yourselves to these unnatural men, machine men, with machine minds and machine hearts. You are not machines. You are not cattle. You are men. You have the love of humanity in your hearts. You don't hate, only the unloved hate. Only the unloved and the unnatural. Soldiers: don't fight for slavery, fight for liberty.
In the seventeenth chapter of Saint Luke it is written:
- "The kingdom of God is within man"
Not one man, nor a group of men, but in all men; in you, the people.
You the people have the power, the power to create machines, the power to create happiness. You the people have the power to make life free and beautiful, to make this life a wonderful adventure. Then in the name of democracy let's use that power, let us all unite. Let us fight for a new world, a decent world that will give men a chance to work, that will give you the future and old age and security. By the promise of these things, brutes have risen to power, but they lie. They do not fulfil their promise, they never will. Dictators free themselves but they enslave the people. Now let us fight to fulfil that promise. Let us fight to free the world, to do away with national barriers, do away with greed, with hate and intolerance. Let us fight for a world of reason, a world where science and progress will lead to all men's happiness.
Soldiers! In the name of democracy: let us all unite!