segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Quatro meses

Serio? Quatro meses?
Ja faz tudo isso?!

Engracado. Quatro meses sem postar num blog chamado "Ocupado" porque eu estava ocupado com o nada que eu fiz esse tempo todo.
Engracado como a vida é, né? Eu nunca acreditei muito nessa de estar aqui pra pagar seus pecados e tudo o mais, mas acontece cada uma...
Engracado como as coisas acontecem...! As vezes eu quero tanto uma coisa, que assim que ela acontece, eu me arrependo.
Sabe o que é mais engracado? Essa expressao estupida que a gente usa, e o que a gente comenta depois nunca realmente o é.

Pelas minhas contas, ta na hora da vida parar de me pregar esse tipo de peças de gosto duvidoso. Talvez alguem esteja se divertindo com isso, vai saber...
Nem tudo que reluz é ouro, nem tudo que cai é pesado, nem tudo que dói é mau, e nem tudo que sai errado era pra ser assim...Mas não é por isso que era pra ser.

Tempo de pesagem...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Quero

Ando pensando demais.
Não tem muito mais o que fazer nessas férias tediosas de estudante, onde todo mundo quer, mas ninguém sabe O QUÊ fazer...

Sempre detestei aquelas histórias de fantasmas do passado, que assombram a vida das pessoas pelos seus erros. A merda nisso tudo são os meus que têm voltado pra puxar o meu pé.
Não oS. Na verdade um em especial que não merece a atenção da ocasião.
Mas a coisa é que, ultimamente, tenho planejado demais e feito de menos. Vislumbro melhoras que eu sei que minha pessoa, meu corpo, minha alma precisam, e não faço outra coisa que não sonhar.
Quero muito, e não me deixo passar do desejo. Não chego a dar o primeiro passo da maratona, por ficar pensando em como seria ter a medalha de ouro no peito.

Eu quero mais é amar;
Quero sentir correr de novo nas veias o calor de um amor renovado e cheio de vida, cheio de vontade, tão adolescente quando as almas que ele envolve;
Quero aprender a dominar a mim mesmo;
Quero ser o mestre de meu destino, quero ser o capitão de minha alma;
Quero governar minha mente, e nela plantar o início de uma nova vida;
Quero escrever o que tocará no mais fundo da alma de todo o humano capaz de ler, e ser o responsável pelo choro mais purificador de cada alma viva nessa maldita terra;
E começo agora minha jornada para tudo isso
Wish me luck


Erick Ozaki

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Swingset Chain

Bom, acabei de ver que não existem boas traduções de uma das minhas músicas favoritas, então resolvi eu mesmo fazer uma. Vamos ver no que dá né?

Swingset Chain - Loquat

Há o playground onde costumávamos correr
O trepa-trepa que quebrou o braço dela,
As barras de onde você caiu,
E a corrente do balanço que predeu minha língua
Lá se foram trinta, e agora estamos longe
Se tivesse se plantado aqui, não sentiria sua falta por tanto tempo

Mas então vem o dia em que você deixa a cidade
Estou de volta ao caminho emque me encontrava, quando você nao estava aqui

Se você quer saber como era isso,
Te digo de antemão, que era bem quieto.
Choveu durante 119 dias do ano,
E gastei o tempo caindo pelas escadas.
Eu sei que não posso colocar você numa coleira,
Mas algo me diz que você iria além da Grécia.
E, ai, eu teria que pensar no que fazer.
Estou com medo de ser dependente de você

Estou ficando louco porque estamos desmoronando,
Antes mesmo de pegar impulso
E agora todas as portas se trancaram.
As árvores te derrubam porque elas estão sempre de pé, firmes
Se o tempo realmente estivesse a correr, você veria enquanto dirigia

Ainda tem o deck no telhado pra onde ainda vamos,
Um par de bares onde nunca entramos,
Os patins que te acertaram o rosto,
E o parque na colina, que é o nosso único espaço
O nevoeiro está rápido e vem sem parar
Ao mesmo tempo que tomo meu primeiro gole de gin
Eu não pretendo reclamar muito
Mas isso está me deixando meio convencido...

Eu temo que estejamos ficando sem tempo
Mas fazer o quê?
Eu deveria parar para pensar nisso?
Tem alguma coisa que eu poderia fazer para diminuir a velocidade do tempo
Em vez de gritar enquanto o assisto passar?

Você é uma semente de dente-de-leão
Que voa pelo ar
E pousa aleatoriamente
E então, desaparece


Estou ficando louco porque estamos desmoronando,
Antes mesmo de pegar impulso
E agora todas as portas se trancaram.
As árvores te derrubam porque elas estão sempre de pé, firmes
Se o tempo realmente estivesse a correr, você veria enquanto dirigia

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Não quero alguém que morra de amor por mim.


 "Não quero alguém que morra de amor por mim…
Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.
Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo,
quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.
Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim…
Nem que eu faça a falta que elas me fazem,
o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível…
E que esse momento será inesquecível..
Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre…
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém…
e poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos,
que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,
alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho…
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons
sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente
importa, que é meu sentimento… e não brinque com ele.
E que esse alguém me peça para que eu nunca mude, para que eu nunca
cresça, para que eu seja sempre eu mesmo.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter
forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe…
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem humildade e paz
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia,
e se eu não desistir dos meus sonhos e propósitos,
talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas…
Que a esperança nunca me pareça um “não” que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como “sim”.
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder
dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim,
sem ter de me preocupar com terceiros…
Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão…
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas,
que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim…
e que valeu a pena."

Mario Quintana

domingo, 29 de maio de 2011

Ai, minhas mãos...

Há muito não sinto isso;

O dia lá fora está feio como não vejo desde muito tempo atrás;

Tudo aqui está mais frio, mais gélido, mais impessoal...
Porque ela tinha que fazer isso comigo? Por quê?
Não tinha necessidade, ela podia simplesmente dizer que estava tudo acabado, que não havia mais o que fazer, mas nao foi assim...
Ela nos levou até a frente de uma montanha, onde a água corria gelada, parecia facas entrando na carne das mãos...
Por que eu? Por que comigo? Podia acontecer com qualquer um, mas por que a minha pessoa?
Por que que eu tenho que lavar essa pilha enorme de louça nesse frio, mamãe?!?

Erick Ozaki

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A ilusão do Perfeito

Ah, maldito Karma humano, o de achar que existe a tampa de encaixe exato pra sua panelinha de cabo frouxo;
De querer procurar o fitting exato pra forma tosca da alma torta;
Pensar ver em um rosto perdido no vazio da multidão, o par pra sua velha meia furada;
Tentar, à todo custo, fazer da perfeita debilidade da alma alheia, um parceiro ideal;
Viver às custas da idéia de que há, lá fora, uma companhia sem defeitos, digna do titulo de perfeito;

Mas, cá pra nós...
O que é da vida humana, senão amar e ter esperança?
Qual a graça de pensar que chegamos onde estamos para estar, e mais nada do que perpetuar a chance de sofrer de uma vida sem o que amar e querer?

Ah, doce Karma de ser humano e ter que errar!

Erick Ozaki

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Sopre pra não se arrepender...

Pensei muito hoje.
Queimei miolo mesmo...
Pensei, pensei, e conclui:

Você não gosta de mim tanto quanto você acha;
O que te atrai é o cheiro que resta do adolescente
Aquele de olhar distante, que você acha que tem semblante misterioso,
que esconde inteligência por trás da simplicidade quase boba com que age,
que esconde hombridade por trás da barba por fazer...
Mas todo esse ar de mistério não existe.
Você confundiu isso tudo com o cheiro da juventude que deixa o homem aparecer nesses próximos anos...

Não é justo decidir por você, eu sei, mas também não é justo te deixar se enganar
por esse odor de alma adolescente, que quando soprar o vento do tempo,
não será muito mais do que um irresponsável mal compreendido,
um caso perdido, um amor não correspondido.

domingo, 27 de março de 2011

Vou-me embora pra Pasárgada


Vou-me embora pra Pasárgada

Lá sou amigo do rei

Lá tenho a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada

Aqui eu não sou feliz

Lá a existência é uma aventura

De tal modo inconseqüente

Que Joana a Louca de Espanha

Rainha e falsa demente

Vem a ser contraparente

Da nora que nunca tive

E como farei ginástica

Andarei de bicicleta

Montarei em burro brabo

Subirei no pau-de-sebo

Tomarei banhos de mar!

E quando estiver cansado

Deito na beira do rio

Mando chamar a mãe-d'água

Pra me contar as histórias

Que no tempo de eu menino

Rosa vinha me contar

Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo

É outra civilização

Tem um processo seguro

De impedir a concepção

Tem telefone automático

Tem alcalóide à vontade

Tem prostitutas bonitas

Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste

Mas triste de não ter jeito

Quando de noite me der

Vontade de me matar

— Lá sou amigo do rei —

Terei a mulher que eu quero

Na cama que escolherei

Vou-me embora pra Pasárgada.

Manuel Bandeira

sábado, 26 de março de 2011

Untitled

Quero te beijar como se fosse a última;
Contruir em volta de você meu castelo feito de areia, segure os cotovelos;
Don't you dare to let it slip into the see,
Não me deixe com medo de vagar no escuro, seja medo estampado na cara ou escondido no porão;
Vamos erguer um patamar cerdado de quatro paredes sólidas,
Beijo por beijo num sonho mágico, cercados pelo descaso público.

Erick Ozaki

sábado, 5 de março de 2011

Extreme ways are back again

    I am back to my routine these days, that's the biggest reason I've been out for so long.
Everything looks the same. Ok, almost everything. The most important thing above all doesn't feel that the same. I dont feel quite the same.
   I mean, I am still me speaking about myself, I still believe in whatever i believed before, but I want different. I dont feel quite the same, despite I still am the very me I've ever been.
   I've been there before. But never like this. Feels different but completely normal. Feels like the world around me is just changing, and I dunno how and where to, but looks like I just know it's getting better at every single breath I take.
   You know, feels better now then when I started writing, and I hope it feels worse than how i shall feel when I am done doing it. Maybe I will feel even better soon, I might just need someone to share and divide, so I can grow it even bigger.
   Everything gets feeling like new, when you start investing better your time on you.

Erick Ozaki