quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Feeling like a new soul

Contrariando um pouco minha propria dica a um blog amigo, um post um tantinho longo pra estrear o blog.

New Soul

Yael Naim

I'm a new soul I came to this strange world hoping
I could learn a bit 'bout how to give and take.
But since I came here felt the joy and the fear
Finding myself making every possible mistake

La-la-la-la-la-la-la-la...

I'm a young soul in this very strange world
Hoping I could learn a bit 'bout what is true and fake.
But why all this hate? Try to communicate finding
Just that love is not always easy to make.

La-la-la-la-la-la-la-la...

This is a happy end cause'
You don't understand
Everything you have done
Why's everything so wrong

This is a happy end
Come and give me your hand
I'll take your far away.

[refrain]: I'm a new soul I came to this strange world
Hoping I could learn a bit about how to give and take
But since I came here felt the joy and the fear
Finding myself making every possible mistake

New soul...
In this very strange world...
Every possible mistakes
Possible mistakes
Every possible mistakes
Mistakes, mistakes, mistakes...


Sabe, ontem, quando voltava do outro lado da cidade, a noite, pelo metro paulistano, me senti, de repente, importante, por fazer parte de um momento importante da vida de alguem. Enquando o trem rolava sobre os trilhos da linha verde, um rapaz, se aproximou e ficou ao meu lado na porta, esperando que o trem chegasse ao seu destino. Bom, entediado, pois nao tinha fones para musica, reparei no rapaz, que usava oculos e uma alianca na mao direita, prateada, de compromisso, convencao comum dos jovens namorados hoje em dia, a tal da "algema" ou "coleira" como alguns mais descontraidos chamam. Acanhado, ele tirou do bolso da bermuda que usava uma caixinha branca, de papelao, e de dentro dessa, uma caixinha de aliancas.  Enquanto ele encarava serio a caixinha meu sorriso se abriu. Pensei comigo mesmo como era bom ver um rapaz tomar uma decisao bonita dessas. Afinal de ocntas, numa juventude desvairada, alguem tem que nos salvar da visao de "youth gone wild" e mostrar que ainda existe algo de romantico e responsavel nas almas da mocidade. O rapaz, com todo o direito, olhou um tanto assuntado pra mim (talvez pensasse que eu abateria as aliancas, ando sem fazer a barba e me encontrava de bermudas e chinelo devido ao calor, talvez tenha me confundido com um trombadinha). Sorrindo he perguntei: "Pedido de casamento?!" E com um sorriso que se da poucas vezes na vida ele me respondeu: "Fico noivo amanha" E desceu feliz da vida do trem, em seu destino me deixando sozinho com meu alterego, pensando. De fato me senti feliz. Talvez o rapaz nao se lembre nem de que um dia esse episodio aconteceu, mas me senti importante em fazer, de alguma forma, parte desse episodio importante da vida de um completo desconhecido.

Um comentário:

  1. Owwnnn...
    Belíssima estréia moziiii!
    Muita sensibilidade a sua, em perceber como estava um 'furacão' a cabeça e a coração do seu semelhante...
    AMEI!!
    Beijos!! ;}

    ResponderExcluir