sábado, 19 de dezembro de 2009

Scent of a woman

Esse fim de semana, fui visto entrando num teatro popular paulistano, mas numa ocasião fora do comum a minha pessoa: entrava para assistir a uma orquestra, mas não uma qualquer, e sim, a Orquestra Bachiana de Jovens.
No momento do convite não dei maior importancia e entrei ameno. Sentei-me, cruzei as pernas e comecei a desvendar um quebra-cabecas que acabara de ganhar na exposicão tecnicologica da qual saira.
A orquestra, então, comecou a tocar. Poucas vezes senti tantas variacoes no que sentia. Sentia incrivel vontade de gritar, seguida pela necessidade de fechar os olhos e simplesmente ouvir o que os violinos tinham a me dizer. Pela primeira vez na minha vida, posso dizer que enchi meus pulmoes com musica!
Resolvi que seria bom compartilhar com quem acompanha esse meu diario-nao-atualizado-digital-ultra-hi-tech, pelo menos, parte dessa emocao. Entao, segue o video da mesma Orquestra que me chocou.





That's all. For now.
I'll be back. At least, I hope so.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Imagine all the people...


"Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade.
Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada "dois em um": duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava.
Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.
Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos.
Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto.
Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas.
Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém."



John Lennon

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Ao meu amor...

 Soneto de Fidelidade

"De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar o meu canto
E rir o meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem a morte, angustia de quem vive
Quem sabe a solidao, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que nao seja imortal, posto que é chama
Mas que seja eterno, enquanto dure"

Vinicius de Moraes

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Mama, just killed a man...

Pra trazer um pouquinho de nostalgia, mais um video, que lembra algumas das coisas que vivemos na infancia jogado dentro de um outro que me lembra algumas coisas da minha adolescencia. Com voces, minhas senhoras e meus senhores, adoravel publico de umas 3 ou 4 pessoas: Muppets cantam Bohemian Rhapsody! \o/  


E aqui, a letra original, que lendo voces entenderao porque eles tiraram isso de um 'musical' infantil:


Is this the real life? 
Is this just fantasy? 
Caught in a landslide 
No escape from reality 
Open your eyes 
Look up to the skies and see 
I'm just a poor boy (Poor boy) 
I need no sympathy 
Because I'm easy come, easy go 
Little high, little low 
Any way the wind blows 
Doesn't really matter to me, to me 

Mama just killed a man 
Put a gun against his head 
Pulled my trigger, now he's dead 
Mama, life has just begun 
But now I've gone and thrown it all away 
Mama, ooh 
Didn't mean to make you cry 
If I'm not back again this time tomorrow 
Carry on, carry on as if nothing really matters 

Too late, my time has come 
Sends shivers down my spine 
Body's aching all the time 
Goodbye, everybody 
I've got to go 
Gotta leave you all behind and face the truth 
Mama, oooooooh (Anyway the wind blows) 
I don't want to die 
Sometimes wish I'd never been born at all 

[Aqui, Brian May, Ph.D. em fisica, manda MUITO na guitarra...] 

I see a little silhouetto of a man 
Scaramouch, Scaramouch, will you do the Fandango 
Thunderbolt and lightning, very, very frightening me 
(Galileo) Galileo (Galileo) Galileo, Galileo Figaro 
Magnifico-o-o-o-o 
I'm just a poor boy nobody loves me 
He's just a poor boy from a poor family 
Spare him his life from this monstrosity 

Easy come, easy go, will you let me go? 
Bismillah! No, we will not let you go 
Let him go 
Bismillah! We will not let you go 
Let him go 
Bismillah! We will not let you go 
Let me go (Will not let you go) 
Let me go (Will not let you go) (Never, never, never, never) 
Let me go, o, o, o, o 
No, no, no, no, no, no, no 
(Oh mama mia, mama mia) Mama Mia, let me go 
Beelzebub has the devil put aside for me, for me, for me! 

So you think you can stone me and spit in my eye 
So you think you can love me and leave me to die 
Oh, baby, can't do this to me, baby 
Just gotta get out, just gotta get right outta here 

[E aqui soh da May de novo...] 
(Oooh yeah, Oooh yeah) 

Nothing really matters 
Anyone can see 
Nothing really matters 
Nothing really matters to me 

Any way the wind blows...


terça-feira, 24 de novembro de 2009

2005 Stanford graduating studants speech by Steve Jobs

Um video que falar por si soh sobre o que eh ter obejtivos na vida
 
 
That's all folks...for now! =]

sábado, 21 de novembro de 2009

O amor contagia...

Que tem a morte de errado?
Por que temos esse medo mortal?
Por que nao tratamos a morte com humanidade, dignidade, decencia e ateh com humor?
A morte nao eh o inimigo.
Se quiserem enfrentar um mal, enfrentem o mal da indiferenca.
Ouvi predilecoes sobre "transferencia", "distancia profissional".
A transferencia eh inevitavel. Todo ser humano causa impacto nos outros.
Por que evitar a relacao entre medico e paciente?
Sei o que ensinam e acredito que esta errado.
A missao de um medico deve ser nao soh evitar a morte, mas melhorar a qualidade de vida.
Tratando o mal, se ganha ou se perde.
Tratando a pessoa, eu garanto, vao ganhar, independentemente do desfecho.
A sala esta cheia de estudantes de medicina.
Nao se deixem anestesiar pelo milagre da vida.
Sempre se extasiem pela gloria do corpo humano.
Concentrem-se nisso, nao em procurar notas que nao indicam o tipo de medicos que serao.
Nao esperem demais para recuperar a humanidade.
Aprendam a entrevistar. A falar com estranhos.
Com amigos, com "enganos", com todos!
Cultivem amizades com essas pessoas incriveis, as enfermeiras.
Elas cuidam de pessoas dia apos dia.
Tem muito a ensinar, bem como os professores que nao tem o coracao gelado.
Aprendam a ter compaixao.
Quero ser medico de todo meu coracao.
Queria ser medico para ajudar os outros.
Por causa disso, perdi tudo.
Mas tambem ganhei tudo.
Compartilhei das vidas de pacientes e do pessoal do hospital.
Rimos e choramos juntos.
Quero dedicar a vida a isso.
E hoje, seja qual for sua decidao, eu juro por Deus que chegarei a ser o melhor medico que o mundo ja viu.
Podem impedir que eu me forme.
Podem me negar o titulo e o avental branco.
Mas nao podem dominar meu espirito nem evitar que aprenda.
Nao podem me impedir de estudar.
Portanto, tem uma escolha. Podem me ter como um colega apaixonado. Ou como um intruso, mas ainda inquebrantavel.
Seja como for, ainda serei um espinho.
Mas prometo, vou ser um espinho que nao podem arrancar.

-"Is that all?"

-"I hope not, sir."

por Hunter "Patch" Adams,
em "Patch Adams - O amor eh contagioso", 1998

Post com uma singelissima e sincera dedicacao a Marion Bianca! =]
Espero que essa paixao e esse amor pelo que se faz contagie o seu ser como o de todos que te cercam e dos outro humanos.
That's all, for now.

...To warm me in lonely nights, I love you, baby, trust in me when I say it...

Eu vou, inevitavelmente, durante a vida atualizavel desse blog, escrever algumas coisas em ingles, porque, mesmo gostando muito da minha lingua patria, ainda tem coisas que nela nao se expressa ou traduz tao bem.
E pra comecar essa onda de "ianquismos", um poema recitado por Julia Stiles, na pele de Katerina "Kat" Stratford, em "10 things I hate about you".


I hate the way you talk to me
And the way you cut your hair
I hate the way you drive my car
I hate it when you stare

I hate your big dumb combat boots
And the way you read my mind
I hate you so much that it makes me sick
It even makes me ryhme

I hate the way you're always right
I hate it when you lie
I hate it when you make me laugh
Even worse when you make me cry

I hate the way you're not around
And the fact that you didn't call
But mostly I hate the way I don't hate you
Not even close, not even a little bit, not even at all.



That's all folks! [for now]

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Feeling like a new soul

Contrariando um pouco minha propria dica a um blog amigo, um post um tantinho longo pra estrear o blog.

New Soul

Yael Naim

I'm a new soul I came to this strange world hoping
I could learn a bit 'bout how to give and take.
But since I came here felt the joy and the fear
Finding myself making every possible mistake

La-la-la-la-la-la-la-la...

I'm a young soul in this very strange world
Hoping I could learn a bit 'bout what is true and fake.
But why all this hate? Try to communicate finding
Just that love is not always easy to make.

La-la-la-la-la-la-la-la...

This is a happy end cause'
You don't understand
Everything you have done
Why's everything so wrong

This is a happy end
Come and give me your hand
I'll take your far away.

[refrain]: I'm a new soul I came to this strange world
Hoping I could learn a bit about how to give and take
But since I came here felt the joy and the fear
Finding myself making every possible mistake

New soul...
In this very strange world...
Every possible mistakes
Possible mistakes
Every possible mistakes
Mistakes, mistakes, mistakes...


Sabe, ontem, quando voltava do outro lado da cidade, a noite, pelo metro paulistano, me senti, de repente, importante, por fazer parte de um momento importante da vida de alguem. Enquando o trem rolava sobre os trilhos da linha verde, um rapaz, se aproximou e ficou ao meu lado na porta, esperando que o trem chegasse ao seu destino. Bom, entediado, pois nao tinha fones para musica, reparei no rapaz, que usava oculos e uma alianca na mao direita, prateada, de compromisso, convencao comum dos jovens namorados hoje em dia, a tal da "algema" ou "coleira" como alguns mais descontraidos chamam. Acanhado, ele tirou do bolso da bermuda que usava uma caixinha branca, de papelao, e de dentro dessa, uma caixinha de aliancas.  Enquanto ele encarava serio a caixinha meu sorriso se abriu. Pensei comigo mesmo como era bom ver um rapaz tomar uma decisao bonita dessas. Afinal de ocntas, numa juventude desvairada, alguem tem que nos salvar da visao de "youth gone wild" e mostrar que ainda existe algo de romantico e responsavel nas almas da mocidade. O rapaz, com todo o direito, olhou um tanto assuntado pra mim (talvez pensasse que eu abateria as aliancas, ando sem fazer a barba e me encontrava de bermudas e chinelo devido ao calor, talvez tenha me confundido com um trombadinha). Sorrindo he perguntei: "Pedido de casamento?!" E com um sorriso que se da poucas vezes na vida ele me respondeu: "Fico noivo amanha" E desceu feliz da vida do trem, em seu destino me deixando sozinho com meu alterego, pensando. De fato me senti feliz. Talvez o rapaz nao se lembre nem de que um dia esse episodio aconteceu, mas me senti importante em fazer, de alguma forma, parte desse episodio importante da vida de um completo desconhecido.